A coin for the well

Eu acho que nunca tinha chorado assim antes de desespero. Já chorei por causa de filme, de alegria, já chorei por amor, mas nunca por desespero. De sentar no chão sem se preocupar de sujar a roupa e chorar e urrar e ficar todo feio.

Eu sempre tive a mania de esconder as minhas fraquezas das pessoas. Geralmente está sempre “muito bem, obrigado, sou muito fodão mesmo.”, inclusive pros meus amigos próximos. Não sei bem o que é isso, deve ser uma impressão de que não admitir os problemas para os outros é um forma de não encará-los. Além de ter o sentimento HORROROSO de que vai ter gente se regozijando em minha sofreguidão. Gente, isso é sério, terrível essa ideia. Sempre fui uma pessoa extremamente orgulhosa, e a sensação de fracasso é completamente difícil de lidar, e boa parte disso é preocupação em relação ao que as pessoas vão pensar. Que ruim.

Bonito, bem amado e bem sucedido”.

Obrigado. Mas não é. A parte do bem amado eu acredito, obrigado mamãe, papai, namorado e alguns amigos — mas quando a pessoa está se odiando é difícil conseguir aproveitar o amor que vem dos outros.

Bonito: eu não vou me fazer de pão pra ganhar requeijão, nem se preocupem, mas só eu e o espelho sabemos quão frágil é minha autoestima, e quando junta com esse outro fator desaba tudo:

Bem sucedido eu poderia rir pra não chorar, mas não tenho forças no momento. Só queria pedir que acendam uma vela e torçam por mim, porque não penso outra coisa senão que chegou o fim da linha pra mim. Poderia dar detalhes mas já basta de exposição por hoje. Bicho, eu há alguns anos escrevi um texto sobre o “purgatório emocional” (acho que era esse o termo, eu era super poético escrevendo e ADORAVA uma metáfora, risos.) e é exatamente essa sensação de estar jogando minha vida no lixo que estou tendo.

Também nesse pequeno desabafo queria me retratar com a sociedade pela minha amargura e por ser ranzinza e de achar tudo e todos medíocres. E ficar xingando as coisas pelas redes sociais. Ai que vergonha.

Quando uma pessoa não sabe lidar com a própria mediocridade tende a projetá-la nos outros. É isso, tenho que ficar de boa comigo pra poder ficar de boa com o mundo.

Padrão