Lasanha de Soja

Receita originalmente postada ano passado no meu Facebook. Resolvi passar pra cá, com algumas adaptações e correções.

Essa é boa mesmo hein. E bem prática se você decidir utilizar os molhos já prontos comprados de supermercado.
Caso você decida fazer os molhos em casa (recomendo, fica mais gostoso e vale a pena se você tiver tempo extra), vou ensinar no final.

Ingredientes:

Para a estrutura
— 2 saquinhos (ou caixinhas) de molho de tomate pronto. Não vá confundir molho com extrato, hein.
— 1 saquinho (aprox 260g) de molho branco pronto.
— Aproximadamente 500g de queijo mussarela fatiado.
— Massa pra lasanha daquelas que não precisam de cozimento prévio e vão direto ao forno. Uma embalagem dá.
— Manjericão fresco picado ou de saquinho mesmo.
— Parmesão ralado

Para a soja
— 2 copos americanos de PTS, proteína texturizada de soja, aquela que imita carne moída.
— Meia cebola grande ou uma pequena,
— 1/3 de um pimentão verde
— 4 dentes de alho
— 3 colheres de sopa de molho shoyu
— Pimenta do reino moída
— 1 folha de louro
— Uma colher de sobremesa de cominho

Procedimento
Num recipiente, coloque a soja junto com a mesma quantidade de água — proporção de 1:1 — para hidratar. Numa panela, refogue no azeite: alho, cebola e pimentão, até a cebola fizar transparente e cozida. A soja fica na água por aproximadamente dez minutos, mas pode variar dependendo da marca. Essa informação você encontra com precisão na parte de trás da embalagem. Passado o tempo, junte a soja ao refogado, misture e adicione: shoyu, sal a gosto, pimenta, cominho e o louro. Pode adicionar mais azeite ou shoyu se vc achar necessário pra não ficar seco; no caso do segundo, se ligue pra não salgar demais. Mexa por uns 5 minutinhos, tampe e deixe em fogo baixo por mais 5 pra soja pegar o gosto dos temperos. Pronto.

Ligue o forno pra pré-aquecer.
Monte a lasanha num refratário retangular de preferência (geralmente faço num redondo, mas é por falta de opção). Aí vão o queijo, molhos, soja e massa na ordem que você achar melhor, assegurando-se de que as camadas de massa estarão sempre entre camadas de molho, seja branco ou tomate, de modo a garantir seu cozimento. Nas camadas de molho de tomate, jogue pitadinhas de manjericão. Gosto de finalizar com o queijo parmesão.

Deixe lá pelo tempo que for necessário pra massa cozinhar (o tempo é indicado na embalagem). Gosto de deixar sempre mais um poquinho pro queijo tostar nas laterais da assadeira. Yummi. A minha lasanha leva em média meia hora no forno médio.

Esse dia foi massa. A gente fez a lasanha e brownies.

Receita dos molhos branco e de tomate pra quem quer fazer em casa.

Tomate Esse molho básico fica super gostoso pra comer com massas quaisquer. Sempre faço e minha família adora (sempre quis dizer isso)
— 4 tomates maduros. Em supermercados maiores é fácil achar pacotinhos com “tomates para molho”, que já estão bem maduros e geralmente são mais compridos. Tomates comuns bem maduros também fazem um bom trabalho.
— 3 dentes de alho
— 1/3 de cebola
— Manjericão
— 4 colheres de sopa de azeite
— Pimenta do reino
— 3 fiapinhos alecrim. Alecrim é um perigo, se você perde a mão fica tudo com gosto de perfume.

Procedimento
Numa panela, coloque os tomates e encha de água até os cobrir. Deixe em fogo médio até que a pele dos tomates se solte. Você vai ver quando isso acontecer. Escorra, lave-os em água fria e retire sua pele.
Em uma panela — que pode ser a mesma, ela vai estar praticamente limpa — coloque o azeite e refogue alho e cebola. Em fogo baixo, ponha os tomates pelados lá junto com os temperos e com um garfo vá esmagando os tomates de modo que eles soltem seu molho, até que se desfaçam, mexendo sempre pra não grudar/queimar no fundo da panela. Tempo de cozimento é de aproximadamente vinte minutos.

Branco
— Meia cebola
— 1 caixinha de creme de leite
— 3 colheres de sopa de azeite
— Pimenta do reino a gosto
— 3 colheres de sopa de leite integral líquido

Procedimento
Refogue a cebola no azeite e adicione o resto dos ingredientes. Mexa até a consistência ficar bacana. Salgue ao seu gosto.

Anúncios
Padrão

Sobre machismo, identidade de gênero e preconceito

“Gay” não é o contrário de “homem”. Que eu saiba, orientação sexual e identidade de gênero são coisas diferentes.

Não é porque um homem tem interesse sexual por indivíduos do mesmo gênero fisiológio que ele vai se sentir uma mulher.

Me incomoda um pouco quem fala “brincando” que o homossexual é menos “homem” que quem é hétero. A menos que essa pessoa seja um transexual, não importa por quem nem pelo que ele se interessa, vai continuar sendo homem. 

Um gráfico[1] simples que fiz explicando isso:

Aliás, ser “mais homem” ou “menos homem” não deveria tornar ninguém melhor ou mais digno de respeito. Isso é puro machismo. Tanto quanto o dos próprios gays que chamam de “passiva” o outro que é mais flamboyant — ou pintoso, pra bom entendimento.

Se você usa do termo “passivo” com intuito de fazer piada com seu amigo que desmunheca mais que você, está se equiparando aos homofóbicos dinossauros que chamam o amigo de viado quando ele faz algo de errado, ou ao torcedor de futebol que chama o fã do time oponente de “bicha” pra tentar diminuí-lo.

Quem diz isso está basicamente sugerindo que ter um comportamento mais feminino implica que um indivíduo vai, necessariamente, cumprir na hora do sexo a posição de receptor, que por causa de séculos de preconceito e ignorância é equiparada à figura da mulher. Num pensamento machista e antiquado, a mulher é menosprezada e o homem que se iguala a ela merece ser ridicularizado. Isso é um aspecto cultural que já se podia observar em civilizações antigas onde a masculinidade era supervalorizada, tendo como exemplo a Grécia onde o parceiro passivo do relacionamento sofria com o estigma social.[2] 

Penso que muitas vezes as pessoas que usam disso como insulto não tem noção da carga de preconceito que a atitude carrega, e é triste dentro da própria comunidade gay ver esse machismo enraizado, a tiração de onda com quem é mais espalhafatoso ou delicado.
—”Ah, mas não foi a intenção, eu nem tava pensando nesse sentido”. Também não acho que o cafuçu que chama o outro de “viadinho” está imaginando o ódio que está sustentando. É sempre bom pensar duas vezes antes de tirar uma brincadeira; você pode estar perpetuando uma intolerância secular quando deveria combatê-la.

Todo mundo merece respeito, independente do que gosta de fazer na cama, com quem gosta de fazer, do seu sexo ou identidade de gênero, e isso não deve ser motivo pra fazer chacota com seu ninguém.

Notas:
[2] http://www.banap.net/spip.php?article112 ; http://en.wikipedia.org/wiki/Homosexuality_in_ancient_Greece
[1] http://goo.gl/xL7Jf

Padrão